Informação sobre trombose, causas, sintomas e tratamento da trombose, identificando o diagnóstico da trombose venosa profunda, acidente vascular cerebral (AVC) e infarto do miocárdio com dicas que promovam a prevenção da sua ocorrência.


sábado, 27 de setembro de 2014

Tratamento de trombose venosa profunda e embolia pulmonar

Tanto a trombose venosa profunda como a embolia pulmonar são tratadas com medicação para o sangue. Estes medicamentos, chamados anticoagulantes, diminuem a capacidade do seu sangue coagular e também podem fazer com que os coágulos não fiquem maiores. O uso de medicamentos também pode prevenir novas formações de coágulos. Eles no entanto, não quebram os coágulos existentes que já se formaram. Sistemas naturais do corpo vão ajudar a dissolver o coágulo em diferentes graus.
Por vezes, os pacientes com trombose venosa profunda também são convidados a usar uma meia própria para ajudar a tratar os sintomas de inchaço e evitar alterações na pele que podem ocorrer ao longo do tempo, a partir do dano à veia da trombose venosa profunda. As alterações da pele podem incluir dermatite, descoloração da pele, cicatrizes e úlceras. 
Esta condição é chamada de "síndrome pós-trombótica".
Meias e dispositivos que utilizam a pressão de ar para inflar as pernas são também utilizados para a prevenção de trombose venosa profunda.
Alguns provedores de serviços de saúde podem recomendar dispositivos de compressão sequencial para promover o fluxo de sangue. Grande quantidade de terapia anticoagulante diminui o risco de uma embolia pulmonar. Isto consiste na utilização de heparina, que pode ser administrada por via intravenosa ou, mais frequentemente, por injeção subcutânea, seguido de warfarin, que pode ser administrado por via oral e continuado em regime ambulatório.
Os prestadores de cuidados de saúde também podem recomendar a trombólise, usando um agente intravenoso que dissolve coágulos.
Com este procedimento, um cateter é enfiado através do coágulo e um dos medicamentos disponíveis para dissolver os coágulos, é injetado para o dissolver. O clotbuster é injetado lentamente através de um cateter com buracos muitos pequenos para a área da trombose venosa profunda, muito parecido com uma mangueira giratória. Às vezes, um pequeno aspirador de pó é usado para sugar o coágulo amolecido. Uma vez que o coágulo desaparece, angioplastia com balão ou stent podem ser necessários para abrir a veia estreitada, mas isso é comum apenas nas veias ilíacas, localizadas na área pélvica. Com esta abordagem, o paciente também vai necessitar de medicação anticoagulante (heparina) para prevenir a formação de novo coágulo de sangue, enquanto o coágulo existente está a ser dissolvido.
Alguns pacientes têm razões válidas para remover o coágulo, mas para casos em que as drogas para dissolver coágulos não podem ser usadas, a extração do coágulo, através de uma pequena incisão na virilha, pode ser recomendada. Ambas as abordagens são concebidas para remover o coágulo e restabelecer a normalidade do sistema venoso, mas envolvem risco e despesa adicional e, por conseguinte, são aplicados selectivamente pelo especialista.
Remoção do coágulo, por uma ou outra técnica, geralmente é recomendada apenas para grandes coágulos mais acima na perna, e particularmente em pacientes ativos, saudáveis, sem quaisquer doenças graves associadas. Ele pode reduzir significativamente posteriores sequelas de trombose venosa profunda, como inchaço crônico na perna, descoloração, e, em última instancia, úlceras no tornozelo, mas promovem um risco aumentado de hemorragia grave.

Índice dos artigos relativos a Trombose

ACOMPANHE OS ARTIGOS DO BLOG NO SEU EMAIL